domingo, 15 de agosto de 2010

Terno e Gravata

Essa semana estava lendo um texto da faculdade sobre Conforto Térmico , e logo no começo do texto uma parte me chamou MUITA atenção, explicava a idéia de conforto nas roupas! E ainda conta a História do terno e da gravata. Tão legal que resolvi postar aqui.

O terno e a gravata foram adotados de maneira quase generalizada como traje masculino nos círculos decisórios públicos e privados, no Oriente quase tanto como no Ocidente. Num pais predominantemente tropical como o Brasil, é um traje que atrapalha o conforto em todo o território nacional, quase o ano inteiro. E sequer se trata de alguma manifestação cultural própria.


O terno nasceu em 15 de outubro 1666, na Inglaterra, quando Charles II encomedou uma roupa de três peças: calça, colete e paletó. Segundo David Kuchta, o rei buscava um traje para os homens ingleses que lhes realçasse o caráter másculo e assim lhes reforçasse sua legitimidade polílitca, sua autoridade moral e utilidade econômica . Os ombros em ânglo reto e a linha da gola estendida dão, de fato, a ilusão de um tronco mais reforçado.O tecido rígido muitos movimentos naturais do corpo , dando-lhe altivez e postura. As cores escuras ainda amplificam estes efeitos.
Já o costume das gravatas remonta 1635 quando, na guerra dos 30 anos, uma leva de mercenários croatas foia Paris presta apoio a Luís XIV e Richelieu, e chamou a atenção pelos lenços coloridos amarrados ao pescoço. Representavam um ganho em praticidade sobre os lenços de colarinho que tinham de ser mantidos brancos e engomados. A idéia encantou os franceses. O que era uma rebelde simplificação encorporou, ao longo de séculos, valores de formalidade e elegância.





Um comentário:

  1. caro, belo conceito e criativo espaço o teu, te sigo! e estou atento.

    ResponderExcluir